segunda-feira, 31 de outubro de 2016

Visita ao Projeto Kalahari




Agradecemos de coração ao Projeto Kalahari pelo carinho que nos receberam, abrindo as portas da entidade e de seus corações sobre seus sonhos e desafios em relação ao trabalho que realizam junto a crianças e adolescentes que vivem na Cidade Industrial de Curitiba.

Na visita pudemos compreender a ênfase dada a educação e as atividades desenvolvidas assim como seus beneficiários. Adoramos conhecer a pequena Elisabeth, criança encantadora de lindos olhos verdes que nos contou o que havia aprendido na aula de inglês e ainda que era seu aniversário. Sorria feliz, mesmo ainda sem saber que seria surpreendida por uma festa que o projeto carinhosamente estava preparando para ela. Pequenos detalhes que fazem a diferença na vida das crianças.

Somos gratos por vermos pessoas tão comprometidas que acreditam que a educação transforma vidas, sendo um sinal de luz para crianças e adolescentes que vivem em situação de risco naquela comunidade.

Nosso muito obrigado!!! 

Abraços,
Samara Arpini

sexta-feira, 28 de outubro de 2016

Començando a auto avaliar seus projetos



Mudanças são possíveis, comece já avaliar e melhore os resultados de seu projeto.
De forma simples e prática exercite respondendo a 5 questões para avaliar a participação dos beneficiários. Quanto mais correta e honesta for a sua resposta para cada uma das perguntas, mais útil esta avaliação será para a organização.

1. Os beneficiários do projeto são envolvidos no planejamento, implementação, monitorização e avaliação do projeto.
(  ) Sempre (  ) Frequentemente (  ) Ocasionalmente (  ) Raramente

2. Os beneficiários do projeto aumentam o seu nível de confiança ao se envolverem no planejamento, na implementação, monitorização e avaliação do projeto.
(  ) Sempre (  ) Frequentemente (  ) Ocasionalmente (  ) Raramente

3. Os beneficiários do projeto são envolvidos no trabalho de levantamento das suas necessidades e prioridades durante o planejamento do mesmo.
(  ) Sempre (  ) Frequentemente (  ) Ocasionalmente (  ) Raramente
                  
   4. Os funcionários levam em consideração as circunstâncias que poderão impedir os beneficiários de participarem nos projetos.
(  ) Sempre (  ) Frequentemente (  ) Ocasionalmente (  ) Raramente

5. Os beneficiários do projeto assumem a liderança ao tomarem decisões sobre o gerenciamento dos projetos.
     (  ) Sempre (  ) Frequentemente (  ) Ocasionalmente (  ) Raramente

Faça a experiência e compartilhe suas respostas enviando para o e-mail samara@diretrizsocial.com.br para que eu possa lhe ajudar com mais um feedback. 

Espero que possa ajudar.
Abraços,
Samara Arpini

quinta-feira, 27 de outubro de 2016

Dica para projetos sociais envolvidos com esporte



Hoje gostaria de trazer mais uma opção de captação de recursos, especialmente para projetos sociais envolvidos com a questão do esporte.


Importante divulgar as entidades que promovem o esporte em suas atividades a alternativa de captação de recursos através da Lei de Incentivo ao Esporte sancionada em dezembro de 2006. Trata-se de um importante instrumento que estimula pessoas e empresas a patrocinar e fazer doações para projetos esportivos e paradesportivos, em troca de incentivos fiscais. No caso de pessoa física, o desconto pode chegar a 6% no valor do Imposto de Renda devido e o contribuinte decide qual valor quer usar no incentivo ao esporte. Para pessoas jurídicas tributadas com base no lucro real — multinacionais, conglomerados dos setores bancário, industrial, de transporte aéreo e empresas de telecomunicações — o desconto é de até 1% sobre o imposto devido. 


Para participar, os interessados devem apresentar os projetos à comissão técnica do programa, composta por representantes do Ministério do Esporte e Conselho Nacional do Esporte, acompanhados dos seguintes documentos e informações:

  • Pedido de avaliação do projeto dirigido à Comissão Técnica, com a indicação da manifestação desportiva;
  • Descrição do projeto contendo justificativa, objetivos, cronograma de execução física e financeira, estratégias de ação, metas qualitativas e quantitativas e plano de aplicação dos recursos;
  • Orçamento analítico e comprovação de que os preços orçados são compatíveis com os praticados no mercado ou enquadrados nos parâmetros estabelecidos pelo Ministério do Esporte.

Os interessados devem consultar a cartilha sobre a Lei de Incentivo ao Esporte, disponível em:




Espero que essa dica contribua para projetos sociais que utilizam do esporte como ferramenta de transformação social.


Abraços,

Samara Arpini