quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Relações de ajuda




Quem disse que todo mundo quer ser ajudado. Você já perguntou alguém de uma comunidade pobre, onde geralmente se desenvolvem os projetos sociais, se aquela pessoa quer ser ajudada?

Essa é uma boa pergunta, mas pode ir além, caso ela queira ser ajudada, que tipo de ajuda ela espera? Pois é, esses são pequenos detalhes que fazem toda a diferença, normalmente pressupomos que quem mora em alguma comunidade pobre, favela por exemplo precisa de ajuda. Será? Não seria mais fácil perguntar para elas o que elas querem?

Por que estou falando sobre isso? Qual o sentido das relações de ajuda nos projetos sociais? Porque faz toda a diferença e evita uma série de riscos de insucesso do projeto social. Além de já ter quebrado a cara, vou contar minha experiência de quando ainda era estagiária. Muito entusiasmada fui para uma comunidade na época de estágio, para trabalhar com desenvolvimento comunitário em um núcleo habitacional. Chegando lá, conversando com lideranças e famílias, descobrimos que nem todos da comunidade queriam participar, e muito menos desejavam mudanças. Inicialmente gerou uma frustração, mas depois percebemos que a melhor opção era buscar apenas pelas pessoas interessadas e comprometidas com as melhorias da comunidade. Esse foi o caminho que trilhamos.

Primeira lição aprendida, nem todo mundo quer ser ajudado. Precisamos ter consciência que nem sempre todos que vivem em situação de inúmeras vulnerabilidades quer ser ajudado. Precisamos nos focar aos que estão dispostos a superar a situação em que se encontram e estar atentos aos tipos de relações de ajuda que produzimos, pois podemos gerar mais dependência através de nossas ações, ou podemos transformar a vida de muitas pessoas.

Muitas vezes, não nos damos conta de quanta liberdade de criar, inovar que temos em meio a tantas adversidades quando nos propomos aceitar ser ajudado e ao mesmo tempo ajudar a própria comunidade a se desenvolver.

As relações de ajuda demandam que sejam uma via de duas mãos, caso contrário o risco do projeto social aumentará assim como seus desafios, além de gerar insatisfação e frustração.

Reavalie as relações de ajuda que você estabelece, seja no âmbito familiar, profissional ou de projetos sociais. Construa mais vias de duas mãos.

Abraços,
Samara Arpini


sexta-feira, 11 de agosto de 2017

Inspiração para aprender a fazer juntos




Quando li essa história, tocou profundamente meu coração. E por essa razão resolvi compartilhar. Não sei o nome do autor da descrição dessa história.

O que desejo destacar é a percepção e sensibilidade dos envolvidos em ajudar, não somente a atitude 1 atleta, mas de todos e a determinação em cruzar a linha de chegada juntos. Me faz pensar quem realmente tem limitações?

Talvez os atletas tivessem suas limitações..., mas jamais perderam sua sensibilidade, sua capacidade de caminhar todos juntos...

Isso porque lá no fundo, todos nós sabemos que o que importa nesta vida, mais do que ganhar sozinho é ajudar os outros a vencer. Mesmo que isso signifique diminuir nossos passos...

Sempre estou comentando nos posts a importância de fazer juntos na intervenção de qualquer iniciativa social, espero que essa história, nos sirva de inspiração para que possamos superar os desafios e caminhar juntos na direção da transformação social.

Em cada história, uma lição a aprender, uma inspiração a nos guiar.

Abraços,
Samara

quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Inovar: Como fazer ser possível?



O primeiro passo é entendermos a concepção de Inovação Social, que segundo a Standard Social Innovation Review Inovação Social é uma solução para um problema social; uma solução mais efetiva, eficiente, sustentável ou justa do que as soluções já existentes e cujo valor gerado beneficia, prioritariamente, a sociedade como um todo e não apenas alguns indivíduos.

Tendo em vista que as inovações sociais buscam trazer soluções mais justas e eficientes para os desafios socioambientais. A proposta hoje é desafiar você a pensar fora da caixa e começar a inovar suas ações sociais de modo prático e simples. 

Sabemos que o campo social é cheio de desafios, porém se você está comprometido a buscar solução para um problema existente esses 4 verbos podem ajudar na busca pela inovação social: 
                          Eliminar – Diminuir – Criar – Elevar = Inovação

Na hora de pensar suas estratégias de ação de seu projeto social é importante poder fazer o exercício:


Você pode pensar que é difícil, mas comece a refletir e verá que as possibilidades tendem a aumentar. 
 
A combinação entre reduzir e eliminar, contribuem na diminuição dos custos num contraponto as ações de elevar e criar oportunizam agregar valor e inovar nas soluções, criando uma atmosfera onde todos sentem-se parte e colaboram para mudar a realidade atual para algo que seja melhor para todos.

É possível promover a inovação social.Comece a usar já os 4 verbos para inovar, pensando fora da caixa. Faça a experiência e depois compartilhe conosco. 

Abraços,
Samara Arpini